BUENOS AIRES

Para quem quer uma primeira viagem internacional, a Argentina é uma ótima escolha: é pertinho do Brasil, eles falam espanhol e entende bem o Português, não é necessário passaporte, mas não pode esquecer de levar o RG.

Vou contar agora sobre as nossas visitas e a acessibilidade dos lugares.

Antes de sair de casa já contratamos o transfer com a empresa Império Portenho. Chegamos de madrugada no aeroporto em Buenos Aires já estavam aguardando para nos levar ao hotel.

PRIMEIRO DIA:

 

Escolhemos o Íbis Obelisco, pois queríamos ficar próximo do centro. Achamos que fizemos uma excelente escolha: o quarto adaptado nos atendeu muito bem, era espaçoso e com banquinho de banho.

Então começamos o dia com pontos turísticos próximos que não dependia de transporte.

Palácio da Justiça: um edifício imponente, linda arquitetura. Na frente, uma agradável praça onde acontecem vários protestos políticos. Na rua lateral há uma rampa mas não é das melhores. O prédio dispõe também de elevador e banheiro.

Teatro Colón: a visita guiada é um passeio que você não pode deixar de fazer e, se possível, assista um espetáculo. Ficamos encantados com o teatro, com a riqueza dos detalhes e a história do lugar. Pessoa com deficiência e seu acompanhante não pagam a entrada, mas para isso é necessário levar algum documento comprovatório; eu levei meu cartão DeFis(cartão de estacionamento) e não tive problemas. Tem banheiro adaptado e individual, elevador e acessibilidade para o espetáculo.

 

 

 

 

Após passar no Teatro Nacional Cervantes e Centro Cultural Borges, paramos na Galerías Pacífico para conhecer e almoçar. Esse shopping é muito chic, com marcas famosas, uma boa praça de alimentação, elevadores e banheiro.

E como ninguém resiste a comprinhas, a Calle Florida é o lugar ideal para isso com lojas, livrarias, bares e casas de câmbio.

Para finalizar esse dia passamos no Obelisco para algumas fotos.

 

 

 

 

 

 

 

SEGUNDO DIA :

Esse dia deveria ser somente para os parques do Palermo mas, devido a um problema na cadeira de rodas, mudamos o roteiro.

Jardim Japonês: espetacular, encantador e com uma energia positiva. Saímos de lá de táxi até a Floralis Genérica, uma escultura metálica que abre suas pétalas de manhã e fecha ao pôr do sol. A acessibilidade não é das melhores; apesar de ter rampa, a mesma é de pedrinhas, dificultando a passagem da cadeira de rodas.

 

 

 

 

 

 

 

Museu Nacional de Bela Artes: tem o maior acervo do pais. Após essa visita fizemos uma paradinha para almoçar próximo ao Hard Rock Café.

Cemitério da Recoleta, local onde famosos estão enterrados, possuindo diversas obras de arte. Esse cemitério tem visita guiada e a rampa de acesso está ao lado da entrada principal.

No fim do dia fomos para Porto Madero, atualmente revitalizado com muitos restaurantes. A acessibilidade não é das melhores, pois o caminho é de paralelepípedos e a cadeira não roda muito bem.

TERCEIRO DIA :

Casa Rosada: sede da presidência da república argentina em Buenos Aires. Pode ser feito uma visita guiada, mas para isso é necessário agendar com antecedência através do site https://visitas.casarosada.gob.ar/ . Ao lado da Casa Rosada, tem um museu com material dos antigos presidentes do pais.

Praça de Maio: lugar bem agradável para descansar e recuperar as energias para continuar a viagem.

Catedral Metropolitanaprincipal igreja em Buenos Aires, possuindo rampa na lateral.

QUARTO DIA :

Caminito: um encantador local onde acontece uma feirinha de artesanato aos sábados.  Passamos a manhã aqui e almoçamos em um maravilhoso restaurante, o Encuentro Nativos , com um alegre show de tango, uma Inesquecível Carne, sem falar do atendimento: me senti entre amigos. Não é muito fácil um passeio no Caminito, pois as ruas são de paralelepípedos e precisei usar a calçada.

A poucas quadras dali, está o Estádio do Boca, o lendário La Bombonera onde fizemos uma visita simples no Museu e parte das arquibancadas. A entrada é pela loja e lá dentro tem uma rampa bem difícil de subir e descer.

Finalizamos a noite com Steak By Luis, que é um restaurante a portas fechadas. Na verdade, é mais que um jantar, é uma experiência inesquecível.  Não vamos contar tudo porque você precisa ir para conhecer mas, resumindo, são cinco pratos com os cinco respectivos vinhos e uma aula de cada combinação, sem mencionar a gentileza da equipe e o encanto do lugar. É necessário reservar.

Domingo

É dia da feirinha em San Telmo, uma feira de vários quarteirões de artesanato e antiguidades. Ali fica a estátua da Mafalda, personagem de um cartunista argentino. A acessibilidade é péssima, a rua é impossível para cadeira de rodas, carrinho de bebe e até idoso; eu utilizei a calçada atrás das bancas e os desafios foram os buracos.

Mercado de San Telmo: la você encontra algumas variedades de comida, frutas e artesanato. Não é muito grande, é bem cheio e tem banheiro adaptado. 

Nosso jantar foi no Javi’s Parrilla um restaurante familiar, simples e gostoso.

Finalizamos nossa viagem por aqui e como sempre com gostinho de quero mais. Deixo aqui alguns lugares que não pude visitar dessa vez:

Zoológico

Passeio ao Delta do Tigre

Café Tortoni

Show Tango

Apoio:
961bc260e47852dcff7b48fc44e479d6_161x100
Encuentro-Nativo-Logo-01_retocado.png
logo-steaksbyluis.png
FIOROTI%2520TAJIRI%2520LOGOTIPO%2520A%25
Sou a Ketly Vieira!

Influenciadora digital cadeirante viajante.

Recentemente decidi compartilhar com vocês minhas aventuras e assim nasce esse Blog.

Acessibilidade tô de Olho

 

ENTRE EM CONTATO

© 2019  Produzido e criado por agenciamilano.com